Wireless Aruba – Nomenclatura dos APs

Os pontos de acesso da Aruba possuem alto desempenho e são referências no mercado através de funcionalidades que utilizam otimização de RF com inteligência artificial, hardware e OS focados no fornecimento da melhor experiência ao usuário.

Os APs também agregam serviços que suportam dispositivos IoT com protocolos Wi-Fi, Zigbee, Bluetooth etc. Uma dica interessante é que os pontos de acesso possuem uma estrutura de nomes que podem ajudar a identificar a sua capacidade e função.

Os primeiros dígitos indicam o suporte ao padrão WLAN:

• 1: 802.11n
• 2: 802.11ac wave 1
• 3: 802.11ac wave 2
• 5: 802.11ax

Os dígitos seguintes indicam o tipo de ponto de acesso:

• 0: AP de entrada para ambiente indoor
• 1: Padrão para ambiente indoor
• 2,3 e 5: Indoor de alta densidade
• 6: AP de entrada para ambiente outdoor
• 7: Outdoor

Os últimos dígitos com valor ímpar representam os APs com antenas internas, já os APs com dígito final par, indicam os conectores para antenas externas. Caso o access point tenha uma letra no final como o H, significa que é designado para ambientes hospitalares, R para Teleworkers.

Caso tenha dúvidas referente a funcionalidades e especificações dos APs, procure o datasheet de cada modelo, nele é possível encontrar dos detalhes mais importantes do equipamento.

Por exemplo datasheet da serie Aruba AP 530: https://www.arubanetworks.com/assets/ds/DS_AP530Series.pdf

Já para os acessórios e antenas utilize o ordering guide de cada serie para identificar os itens necessários para implementação do ponto de acesso.

Por exemplo o ordering guide da serie Aruba AP 370: https://www.arubanetworks.com/assets/og/OG_AP-370Series.pdf

Referências

Aruba Certified Design Associate_ Official Certification Study Guide ( HPE6-A66)

Wireless Aruba – Tipos de implementações para os Access Points

Uma das grandes vantagens dos Access Point Aruba é a utilização do mesmo equipamento em diversos cenários, como os APs trabalhando de modo independente, ou em cluster, gerenciado por uma Controladora física, Controladora virtual ou mesmo em nuvem. Agora os Access Point podem também serem chamados de UAP (Unified Access Point) e configurados de diversas maneiras e com funções especificas dentro da arquitetura WLAN, como por exemplo:

– Campus AP (CAP): também chamado de CAP, é um típico Access Point que será conectado a uma controladora, que fará o seu gerenciamento.

– Mesh APs: São APs para Campus que usam a interface de rádio como uplink. O Mesh Portal (AP) tem uma conexão física para rede corporativa. O Mesh Point (AP) utiliza seu rádio para acesso à rede corporativa.

– Air monitors (AMs): Efetuam a varredura da rede Wifi para coletar informações de RF e IDS

– Spectrum APs (SA): São Access Points configurados (de forma temporária ou permanente) para capturar sinais de rádio para análise, como por exemplo em cenários de interferência, documentação e/ou mapeamento.

– Remote AP (RAP): Atuam de forma similar ao Campus AP, mas normalmente acessam a Internet para comunicação com a controller através de um túnel VPN. Um RAP pode também ser configurado como um Remote Mesh portal, que é basicamente um RAP com funções de Mesh portal.

– Instant APs (IAPs): não necessitam de uma controladora. Todos os IAPs na mesma sub rede irão comunicar-se e formar uma Virtual Controller (VC) então eles podem operar de forma independente de uma controladora física. 

Um ponto de atenção: tome cuidado ao converter seu Access Point em ambiente de produção. Pesquise, faça testes e alterações em ambientes de laboratório, antes de coloca-lo na rede operacional.

Referências

Aruba Certified Design Professional_ Official Certification Study Guide ( HPE6-A47)

https://blogs.arubanetworks.com/solutions/aruba-unified-ap-platform/