Switches 3Com 4500G – Configurando o RIP versão 1

Publicado originalmente em 26 DE JULHO DE 2010

Olá amigos, já faz um bom tempo que eu venho pensando em escrever um post sobre o RIP. Esses dias durante a leitura de um livro muito bacana chamado Routing TCP/IP, Volume I 2nd Edition (Jeff Doyle, Jennifer Carroll), decidi escrever esse artigo.

Apesar do RIP ser um protocolo de Roteamento simples, sua função é bastante útil em redes pequenas, em comunicações entre Roteadores PE e CPE em redes MPLS, na redistribuição entre protocolos de Roteamento e dispositivos de rede com suporte apenas ao RIP (como protocolo de Roteamento Dinâmico).

O Routing Information Protocol (RIP) utiliza o algoritmo de vetor de distancia (Distance Vector) para escolha de melhor caminho para o destino – o RIP determina a distancia como métrica.

A contagem máxima de distancia para o RIP é 15, o 16º salto é considerado como inalcançável ou infinito.

No exemplo abaixo com todos os Roteadores com RIP ativo, o Roteador W informaria dinamicamente a todos os Roteadores diretamente conectados que possui a Rede 192.168.1.0/24 essas informações são repassadas pelos outros Roteadores até o Roteador X que escolheria o Caminho B como caminho mais curto para acesso a rede 192.168.1.0/24 e incluiria essa informação na tabela de Roteamento.

O RIP encaminha a cada 30 segundos toda a sua tabela de Roteamento em Broadcast (255.255.255.255) na porta 520 UDP.

A regra Split Horizon diz que as atualizações recebidas por uma interface não serão incluídas e/ou encaminhadas de volta nas atualizações para aquela interface. Exemplificando, o Roteador X não encaminhará informações da Rede 192.168.1.0/24 de volta aos Roteadores que lhe encaminharam informações sobre essa rota.

Outra maneira de evitar rotas inconsistentes é a utilização de Route Poisoning, por exemplo, se a rota 192.168.1.0/24 ficar Down o Roteador W iniciará o Route Poisoning anunciando a rede com métrica 16 (como inalcançável). Os roteadores diretamente conectados responderão com a mensagem poison reverse ao Roteador W certificando que receberam a mensagem além de replicarem a rota poisoning aos outros Roteadores.

O RIP encaminha mensagens a cada 30 segundos, o tempo para determinar uma rota como invalida é de 180 segundos.

Obs: o RIP versão 1 não encaminha informações sobre mascara nas atualizações de Rotas para os vizinhos, por isso é considerado um protocolo ClassFull (classe cheia) que obrigatoriamente precisa de consistência na distribuição de sub-redes, não sendo possível trabalhar com mascaras de tamanho variável e redes descontinuas.

Configurando o RIP


Switch 4500-A 
[4500G-A]
vlan 1
#
vlan 2
#
vlan 50
#
interface Vlan-interface1
ip address 192.168.1.1 255.255.255.0
! Atribuindo o endereço IP a VLAN 1
#
interface Vlan-interface2
ip address 192.168.2.1 255.255.255.0
! Atribuindo o endereço IP a VLAN 2
#
interface Vlan-interface50
ip address 192.168.50.1 255.255.255.0
! Atribuindo o endereço IP a VLAN 50
#
rip 1
! Ativando o processo RIP 1(é possivel trabalharmos com processos RIP 
! independentes no mesmo Switch)
version 1
! O RIP possui 2 versões,a versão 1 trabalha somente com mensagens em  
!  Broadcaste rotas Classfull enquanto o RIP versão 2 oferece suporte 
!  a máscaras de tamanho variável e atualizações em multicast
network 192.168.1.0
network 192.168.2.0
network 192.168.50.0
! Adicionando as redes 192.168.1.0, 192.168.2.0 e 192.168.50.0 ao 
! processo RIP, para encaminhamento de atualizações dessas redes 
! aos vizinhos, incluindo o encaminhamento de mensagens Broadcasts
! por essas VLANs 
#

Switch 4500-B
[4500G-B]
vlan 1
#
vlan 10
#
vlan 17
#
interface Vlan-interface1
ip address 192.168.1.2 255.255.255.0
#
interface Vlan-interface10
ip address 10.0.0.1 255.0.0.0
#
interface Vlan-interface17
ip address 172.17.0.1 255.255.0.0
#
rip 1
network 192.168.1.0
network 172.17.0.0
network 10.0.0.0
#

Comandos Display

<4500G-A>display ip routing-table
Routing Tables: Public
Destinations : 10 Routes : 10
Destination/Mask Proto Pre Cost NextHop Interface
10.0.0.0/8 RIP 100 1 192.168.1.2 Vlan1
127.0.0.0/8 Direct 0 0 127.0.0.1 InLoop0
127.0.0.1/32 Direct 0 0 127.0.0.1 InLoop0
172.17.0.0/16 RIP 100 1 192.168.1.2 Vlan1
192.168.1.0/24 Direct 0 0 192.168.1.1 Vlan1
192.168.1.1/32 Direct 0 0 127.0.0.1 InLoop0
192.168.2.0/24 Direct 0 0 192.168.2.1 Vlan2
192.168.2.1/32 Direct 0 0 127.0.0.1 InLoop0
192.168.50.0/24 Direct 0 0 192.168.50.1 Vlan50
192.168.50.1/32 Direct 0 0 127.0.0.1 InLoop0

<4500G-A>display rip
RIP process : 1
RIP version : 1
Preference : 100
Checkzero : Enabled
Default-cost : 0
Summary : Enabled
Hostroutes : Enabled
Maximum number of balanced paths : 1
Update time : 30 sec(s) Timeout time : 180 sec(s)
Suppress time : 120 sec(s) Garbage-collect time : 120 sec(s)
update output delay : 20(ms) output count : 3
TRIP retransmit time : 5 sec(s)
TRIP response packets retransmit count : 36
Silent interfaces : None Default routes : Disabled
Verify-source : Enabled
Networks :
192.168.50.0 192.168.2.0
192.168.1.0
Configured peers : None
Triggered updates sent : 43
Number of routes changes : 24
Number of replies to queries : 4

Até logo 🙂

Distância administrativa em Switches L3 e Roteadores H3C/3Com/HP Serie A

A tabela de roteamento dos Switches L3 e Roteadores, insere os destinos aprendidos manualmente (rotas estáticas ou redes diretamente conectadas) ou dinamicamente (aprendidos via protocolo de roteamento dinâmico).

 
Para os casos de uma destino ser aprendido de diferentes formas, como por exemplo, o prefixo 192.168.1.0/24 ser aprendido via RIP e OSPF, o Roteador dará preferência para a rota com  Distância Administrativa de menor valor, no caso, o destino aprendido via OSPF terá preferência pelo valor 10 em detrimento do protocolo RIP com o valor 100 (nesse exemplo a rota eo gateway da rede que será inserido na tabela de roteamento será o aprendido via OSPF).Perceba que as rotas diretamente conectadas possuem a prioridade 0 (zero) e serão roteadas internamente pelo dispositivo.

 
A Distância Administrativa possui apenas função local e não é compartilhada pelo protocolo de roteamento. Um detalhe importante a ser percebido é a diferença com os valores atribuídos para a distancia administrativa para Roteadores Cisco. Em todo caso para evitar problemas em cenários com mais de 1 protocolo de roteamento, altere a métrica  em um dos dois dispositivos.

 

Distância Adm. HP Serie A
Distância Adm. Cisco
Directly Connected
0
0
OSPF
10
110
IS-IS
15
115
STATIC
60
1
RIP
100
120
OSPF ASE
150
110
OSPF NSSA
150
110
IBGP
255
200
EBGP
255
20
Unknown
256
255

Abraços a todos