Vídeo: Protegendo o Spanning-Tree (STP)

Os ataques ao protocolo STP geralmente têm como objetivo assumir a identidade do switch root da rede, ocasionando assim cenários de indisponibilidade na rede. Programas como o Yersinia permitem gerar esse tipo de ataque. Há também cenários em que usuários adicionam switches não gerenciados e hubs (propositadamente ou não) com o intuito de fornecer mais pontos de rede em ambientes que deveriam ser controlados.

Funcionalidades comentadas no video para mitigar os ataques ao STP, são: Root Protection (Root Guard), BPDU Protection (BPDU guard) com STP edged-port (portfast) e loop protection (loop guard).

Até logo!

Vídeo: Port mirroring – Espelhamento de porta

O espelhamento de porta é uma técnica que permite que o Switch efetuar a cópia dos pacotes de uma porta para outra porta.

Essa técnica é bastante utilizada quando precisamos analisar o comportamento da rede, como por exemplo, para identificação de vírus, acessos “estranhos”, comportamento de aplicações, serviços, etc.

Até!

Vídeo: QinQ (802.1ad)

A feature QinQ (802.1q sobre 802.1q – 802.1ad ), conhecido também como Stacked VLAN ou VLAN sobre VLAN, suporta a utilização de duas TAGs 802.1Q no mesmo frame para trafegar uma VLAN dentro de outra VLAN – sem alterar a TAG original.

Para o cliente é como se o provedor de serviços tivesse estendido o cabo entre os seus Switches. Já para a operadora não importa se o cliente está mandando um frame com TAG ou sem TAG, pois ele adicionará mais uma TAG ao cabeçalho e removerá na outra ponta apenas a ultima TAG inserida.

Obrigado!

Vídeo: DHCP Snooping

A funcionalidade DHCP Snooping permite a proteção da rede contra Servidores DHCP não autorizados e sua configuração é bastante simples. O comando dhcp-snooping configurado globalmente, faz o Switch filtrar todas as mensagens DHCP Offer e DHCP Ack encaminhadas pelo falso Servidor DHCP. A configuração restringe todas as portas do Switch como untrusted (não confiável).

Para o funcionamento do ‘Servidor DHCP válido’ deveremos configurar a porta do Servidor DHCP como trusted (confiável), incluíndo as portas de uplink.

Até a próxima!

Vídeo: VRF (VPN-Instance)

A utilização de VRF (Virtual Routing and Forwarding) permite a criação de tabelas de roteamentos virtuais em Switches e Roteadores, independentes da tabela de roteamento “normal”(geralmente chamada de tabela de roteamento global [Global Routing Table]).

Da mesma forma como a utilização de VLANs em Switches Ethernet permitem a divisão de dominios de broadcasts e mapeamentos da tabela MAC, a utilização de VRF permite a virtualização da tabela de roteamento. Nos Switches e Roteadores utilizando o Sistema Operacional Comware (3Com, H3C e HPN) a feature é chamada de “vpn-instance“.

Obrigado!

Guia para comparação de comandos (ArubaOS-Switch/Cisco)

Pessoal, segue o link atualizado da HP Press para o guia de comparação de comandos ArubaOS com Cisco somente  e Cisco + Comware.

 

ArubaOS-Switch, Comware and Cisco IOS CLI Reference Guide
https://hpepress.hpe.com/product/ArubaOS-Switch+Comware+and+Cisco+IOS+CLI+Reference+Guide-PDF-18113

ArubaOS-Switch and Cisco IOS CLI Reference Guide
https://hpepress.hpe.com/product/ArubaOS-Switch+and+Cisco+IOS+CLI+Reference+Guide-PDF-18112

Até logo!

Vídeo: STP edged-port + BPDU-protection

A feature edged-port permite a interface saltar os estados Listening e Learning do Spanning-Tree Protocol (STP), colocando as portas imediatamente em estado Forwarding (Encaminhamento). A configuração do stp edged-port enableforça a interface a ignorar os estados de convergência do STP, incluíndo as mensagens de notificação de mudança na topologia (mensagens TCN ).

A utilização da feature edged-port com a configuração do comando stp bpdu-protection, protege as portas configuradas como edged-port de receberem BPDUs. Ao receber um BPDU a porta entrará em shutdown.

Valeuu!

Vídeo: Tabela de Roteamento

A tabela de roteamento possui registro dos destinos para encaminhamento dos pacotes. As rotas  podem ser aprendidas manualmente (rotas estáticas ou redes diretamente conectadas) e dinamicamente (aprendidos via protocolo de roteamento dinâmico como OSPF, BGP,etc).

Nesse vídeo faremos uma breve descrição do funcionamento, aprendizado e escolha das rotas por um Roteador.

Valeu!

Vídeo: VRRP – Virtual Router Redundancy Protocol

O VRRP (Virtual Router Redundancy Protocol) permite a utilização de um endereço IP virtual em diferentes Switches/Roteadores. O funcionamento do VRRP é bem simples, dois ou mais dispositivos são configurados com o protocolo para troca de mensagens e então, o processo elege um equipamento MASTER e um ou mais como BACKUP.

Em caso de falha do Roteador VRRP Master o Roteador VRRP Backup assumirá rapidamente a função e o processo ocorrerá transparente para os usuários da rede.

Até logo!